Hoje doem-me os pés, tenho a pele suada e a carteira pouco pesada. Hoje foi um bom dia para o colesterol negativo, para possíveis ataques cardíacos. Hoje vi pessoas conhecidas, recordei situações passadas com um sorriso nos lábios. Hoje ainda não acabou e vai ainda conter uns concertos na Praça do Comércio e uns passos de dança no Urban Beach. Hoje podia acabar já.
Aconselho mais do que tudo no mundo para os pés o esfoliante do Body Shop de Pedra-Pomes.É genial, dá vontade de ficar toda a noite a aliviar as comichões e as peles secas.


É um boião e dura dura que se farta!

Dia da natureza e do livro

Hoje, visto o calor que se faz sentir, só conseguimos pôr os pés na rua perto das 17h e fomos até ao parque ler um pouco e respirar ar puro. Ele lia


Eu uma coisa mais leve


E assim se passou a tarde no meio da natureza


video

(P.S: O meu telemóvel tem uma qualidade de vídeo muito má, peço desculpa)

Amanhã começo a trabalhar às 9h, ai que vou ver a vida a andar para trás com este calor andar de transportes...

Work vs Not Work

     Hoje é o meu último dia de férias, no total foram 36 dias, se adicionarmos o fim-de-semana que se avizinha 38. Soube-me a pouco, este Verão não me apetece trabalhar mas como diz o meu pai "Tens de fazer pela vida".
     Segunda lá começo na vida enfadonha de entrar às 9h sair às 18h, almoçar sempre fora e, comida nada saborosa. Deixarei de ter tempo para as coisas que mais aprecio mas, pelo contrário, a minha leitura andará em dia visto as horas que passarei em transportes.
     Não sei muito bem como vou conciliar o exercício, o Italiano, os blogs, as saídas ao fim-de-semana, as lides domésticas, os cozinhados e o namorado. Serão dois meses chatos, em que vejo o Verão a passar-me ao lado, felizmente já fiz praia este ano e tenho um belo bronze.
     Hoje e este fim-de-semana desejo finalizar algumas lides para que nada fique pendente para a semana; ir ao Centro Cultural de Belém ver as novas exposições; dar um passeio de bicicleta e namorar muito.                                                          
     A todos um bom fim-de-semana!

 Uns ossinhos para eles hihihihi...

À Vera

     Esta grande amiga que aqui já postei em ares carnavalescos não é nenhuma palhaça como a foto poderia levar a pensar.
     Com ela cresci desde pequenina, como ela costuma dizer em tom de brincadeira "Eu andei contigo ao colo", ainda que tenhamos de diferença de idades uns meros três meses, de facto, essa sua afirmação é bem verdade. Quantas vezes ela não me pegou ao colo em momentos difíceis, me aturou, me enxugou as lágrimas, me ouviu lamentar até ficar sem pingo de paciência. É que eu sou muito chata, sem dúvida.
     A nossa amizade tem tantos anos como nós, 27. Com cabeçadas, com afastamentos mas sempre amigas. Nunca perdemos o contacto e espero que esta relação seja para sempre. Espero ser sempre a sua maluca favorita, pois ela será sempre para mim perfeita, especial ainda que não bata bem da bola às vezes.
     Se for a pensar nas minhas maiores aventuras ela faz parte do quadro. Ambas perdemos amigos que nos eram por demais especiais, ambas sofremos desilusões até uma com a outra. Aprendemos que não somos perfeitas mas temos um coração grande para a nossa amizade.
     Falta-nos tempo na vida para estarmos mais juntas, acredito que ela acorde muitas vezes a pensar em mim, a desejar ir esplanar comigo e que ao longo desse dia o seu peito ande apertado de saudades. É assim que hoje me sinto, com muitas saudades suas.
     Saudades de sermos só as duas, as duas que causavam motivos de conversa na boca pouco sã dos vizinhos, as duas que saiam e chegavam de manhã, as duas que vinham a pé bêbedas da estação a casa guiadas pelas mãos.
     Tenho saudades de quando dormiamos juntas e falavámos falavámos até eu começar a cantar e ela coitada adormecer de cansaço. Adorava o modo como festa da terra era sinónimo de gastar muito dinheiro em divertimentos, correr a festa de um lado ao outro vezes sem conta a ver os meninos giros e, por vezes, chegar à fala e algo mais com eles numa praia de areia branca. Tenho muitas saudades de ser vizinha da Vera e das nossas peripécias serem omitidas do mundo.
     A Vera é perfeita para mim, a nossa amizade guarda histórias maravilhosas, trajectos a duas que nunca nos cansaram, conversas que nunca levavam um ponto final. Recordo os nossos banhos no pátio, a diversão que isso nos dava.
     Revejo a alegria espelhada nos olhos dos nossos pais da nossa pura amizade. A Vera é uma das irmãs que nunca tive, aquela irmã gêmea com quem cresci e que me conhece muito bem. A Vera está crescida, eu também. Já não vamos a festas nem tomámos banhos de mangueira mas estas recordações ficam para sempre connosco.  
     Só as duas sabemos o que já partilhamos e, o que ainda iremos querer partilhar uma com a outra. Gostava que a vida nos ajudasse a manter esta relação, porque o aconchego que ela nos traz ajuda a alma a sobreviver com mais sorriso em cada dia que passa.

Gosto destas iniciativas

Já tenho emprego, volto para o local onde já me sinto em casa, onde todos são simpáticos e divertidos, Areal Editores mais um ano, novas peripécias.

Hoje estou feliz, hoje quer-me parecer que Vénus está alinhado com Marte em meu favor!

Vamos jantar ao japonês?
Ele veio dormir a casa, chegou às 5h da manhã. Dei um salto ao acordar com alguém a abrir a porta, mas o meu coração logo se encheu de alegria, ele também tinha desejado muito dormir a meu lado e percorreu 170km àquela hora só para vir dormir no nosso leito.

Obrigado!
Preciso de um emprego, de um trabalho, de uma ocupação rentável.
Estou a enlouquecer fechada em Lisboa sem aprender, ensinar, mexer-me.
Nunca estive sem trabalhar, excepto quando resolvo tirar umas férias.
Agora quero trabalhar, preciso.
Por favor algo que apareça senão breve subo as paredes.

Without any reason

Hoje quis ficar só. Não fui com ele de fim-de-semana. Tenho a casa arrumada, nenhum plano pendente, nada por fazer ou tratar, no entanto, quis ficar em casa. Eu não gosto de estar sozinha, tenho todo o tempo para mim durante a semana mas, o meu espírito fiz ficar aqui.

Nestas quatro paredes, com a festa como pano de fundo e Bonga como banda sonora. Ele não gostou, ficou aborrecido por não lhe fazer companhia, por lhe implorar que viesse dormir a casa, por pedir que não saisse. Como posso pedir isso, com que direito? Eu é que não quis ir. O meu egoísmo disse-me tu não vais portanto, ele que venha te fazer companhia.

Às vezes sou birrenta, hoje deve ser um desses dias. Gosto de passear, sair e estar com outras pessoas diferentes do habitual. Hoje só me apetecia estar com ele nestas quatro paredes. É Sábado e para mim isso significa estar com ele, só os dois, na nossa tacanhez caseira.

A manhã não correu como eu gostaria, não tivemos os nossos momentos, os nossos desvarios sentimentais. Hoje ele não me deu aquele abraço, aquele beijo. Anda cansado, atulhado de trabalho com falta de horas de sono. Eu pelo contrário, desempregada, com tempo de sobra para tudo. 

Estamos bem, ele até me fez companhia a tomar café e pagou a conta. Depois partiu. E o meu coração apertou apertou, ele volta amanhã ou talvez logo. Esperemos que sim.

Devo estar mais frágil que o habitual, são talvez 24h que nos separam e parece-me uma eternidade. Apetece-me chorar, tenho tantas saudades. Por mais tempo que passe com ele, cada ausência destrói-me um bocadinho a alma, origina-me uma ruga vincada no sorriso. Estou triste. Tenho a alma lavada em lágrimas sem razão, sem motivo. Estou só quando podia estar a seu lado, a sorrir do seu rosto cansado. Parva. Devia ter ido, fazer-lhe companhia, ele pediu. Hoje não fiz esse gesto de amor por ele, estou com remorsos. Não sei o porquê, apetece-me estar só. Desejo ainda mais estar agarrada ao seu corpo quente, saboroso, protector. Parva.

O dia adivinha-se muito longo, a noite caso seja sem ele um martírio. Foi uma opção minha, errada! Talvez ele também sinta a minha falta, a necessidade das minhas palavras, o frio dos meus pés e queira vir dormir a casa por saber que isso o levará a sonhar com os anjos.

É estranha esta carência, esta falta sem motivo de ausência, estas saudades desenfreadas. O tempo não me faz ficar cansada dele apenas mais apegada, mais necessitada. O amor abunda hoje no meu corpo. Hoje perdi um pouco da minha independência ao querer ficar só sem o ser capaz.




Shrink


To feel this great urge

to hold and embrace you

I slowly dry out

I shrink and shrink

until I'm gone

nothing to make out of me

oh what the hell went wrong

my heart gets pulled out

into your direction
it's no use
you have forsaken me

Fome vs Consideração

     Ontem, ao jantar, via um episódio na Fox de Family Guy. Nesse episódio, o Peter deixava de atender um cliente que se estava a lamuriar porque estava na sua hora de sair. Essa cena trouxe-me logo à mente o que umas horas antes tinha presenciado.
     Eu e mais duas pessoas estivemos 1h30minutos numa agência de trabalho temporário ontem das 11h ao 12h30 à espera de ser atendidos, estando marcada para as 11h a entrevista. Lá pediram desculpa e blá blá fomos atendidos, primeiro conversa de grupo, depois individual para mais detalhes. Foi um senhor, depois eu e faltava ainda outro jovem, que por coincidência tinha sido o que chegara primeiro ao local. Falei uns meros cinco minutos com a míuda de máximo 23 anos que estava a coordenar a nossa situação e ao sair desejei boa sorte ao outro jovem. Fui em direcção ao metro.
     Um passo, dois passos...ei!Olho. Era o jovem. "Foste rápido", disse eu, e ele "Ela disse para eu voltar amanhã que hoje já não podia falar comigo que estava na hora de ir almoçar". Fiquei chocada, perplexa, estupidifiquei. Era uma coisa de 5minutos, será que nesse tempo o ratinho roia-lhe a barriga?!?
     Uma pessoa chega a horas a uma entrevista, espera 1h30 por falta de boa gestão da empresa e, para no fim receber um "Tenho fome, amanhã falo consigo". É que nem lhe pediu para voltar de tarde, nada. Só no dia seguinte. Falta de consideração pelo tempo e dinheiro das pessoas. Eu gastei mais de 5e para me deslocar ao local, imagino o outro cavaleiro que vinha do Cacém.
     Depois querem que a pessoa não tenha vontade de se suicidar, que crie poupanças, que não desista de procurar emprego. Tratam-nos abaixo de cão, exigem testes e mais testes vá-se lá saber com que intuito. País mais desgraçado o nosso, em que a burocracia impera sobre a decência, oh desculpem,a fome.
    E hoje espera-me mais uma tarde de testes, acho que nem na faculdade tinha tantos testes para verificar se era uma boa professora...

A minha primeira vez e hoje

     A minha primeira vez foi dolorosa, estive todo o tempo calada e sempre a tremer, só falei o estritamente necessário, entrei e sai sem fazer barulho e fiquei à espera de um telefonema no dia seguinte. A coisa correu bem. A roupa foi super importante nesse dia, calça clássica preta, camisa cintada e salto alto, uma senhora!
     Hoje, três anos volvidos dessa primeira vez, lá fui uma vez mais. Calças de ganga, camisa azul e sandálias brancas rasas. Um livro para ler enquanto esperava e água não fosse dar-me sede, o que deu! A coisa foi rápida, os nervos estavam lá mas a experiência também. Fiz questões, empinei o nariz, cruzei a perna, bebi água sem stress... Ao que parece ele gostou, diz que me liga segunda. Amanhã irei de novo dar o corpo ao manifesto, a ver vamos se passo no teste, no de hoje levei nota 20, também o que dei no duro!

Nada se desperdiça!

Digam lá se não está prático:


Estarei a ficar velha?!?

     No prazo de uns meses três ex-namorados casaram. Não é que eles me tenham dito, claro que não, mas estas coisas sabem-se sempre, pelas redes sociais, pelos colegas, pelas pessoas da terra.
     As reacções a tais matrimónios foram diferentes. Um dos casamentos tive de perguntar ao noivo se era mesmo verdade tal a minha incredulidade, esse noivo era simplesmente a última pessoa que achava que devia casar. Outro não me surpreendeu pelo grau de felicidade que a relação apresentava e por desejar o melhor do mundo ao noivo. O terceiro, o meu pensamento foi "Rrrr tá gordo, parecem um casal de toinos".     
     Assim sendo, não desejo nada de mal a nenhum, fiquei surpresa pois claro mas não me deu qualquer arrepio na espinha, nem odiozinho à gaja. Era esperado que eles casassem um dia, portanto que sejam muito felizes e procriem que eu preciso trabalhar.
     Dei então por mim a repensar em quantos namoros assim pó sério tive, daqueles que se apresentam aos pais e surpresa das surpresas eram dois destes caramelos que já estão de anilha no dedo.
     Nesta altura formula-se a seguinte questão, se tivesse ficado com algum deles já estaria casada?!? Brrrr, agora sim fiquei com os pêlos em pé. Até consigo imaginar, jovem casal licenciado, vivendo na terrinha, findo o curso, une os trapos, passados dois anos têm o primeiro filho e viveram felizes para sempre. Ah!Ah!Ah! (no entretanto, o jovem casal engorda 10kg em cada perna). Na na na eu nunca fui de seguir as modas daí a história da Cinderela não poder combinar comigo. Sou do contra, sou irracional e espontânea, daí ter um namorado com várias tatuagens; estar desempregada; ter perdido 12kg; a palavra filhos estar na gaveta com cadeado; beber aos fim-de-semana com os amigos;  gostar de fazer férias sem pensar em nada; ter sexo sempre que me apetece e viver bem longe da santa terra.
     O que tenho de mais comum com uma dona de casa é adorar cozinhar, mas atenção até nisso sou estranha pois  é muito raro fazer duas vezes num ano a mesma comida, gosto da novidade. É difícil acreditar mas é a pura verdade.
    Se havia outras possibilidades na minha vida, haver havia mas nada me faz mais feliz que acordar ao lado do João e saber que sou feliz de verdade. O mesmo desejo, portanto aos meus ex's.
video

Fui a Sesimbra apanhar sol e para não ficarem tristes ou invejosos trouxe-vos a vista, belíssima!

Agora, depois de ver se a Espanha é arrumada, vou ali à festa comer uma fartura e ver que petiscos as senhoras da terra prepararam.

Coitado do touro...
Estou fascinada com a festa da Bobadela, é que eu hoje nem era para escrever mais mas não me contive. Vivo aqui desde 2007 e isto sempre foi uma festinha, este ano vai ser um festão. Então meus senhores caso queiram vir à Vila este fim-de-semana poderão encontrar:
-a roulote das farturas
-o Canguru
- os carrinhos-de-choque para adultos e crianças
- as barraquinhas da Super Bock
- 2 palcos po Bonga e Adelaide Ferreira, entre outros,
- uma arena pa tourada
- outro carrossel infantil
- barraquinhas de comes e bebes
- a quermesse
- outras coisas que não consigo vislumbrar da janela

Dou graças a Deus de não passar cá o fim-de-semana, isto vai ser pior que a feira popular

Ainda nos amamos?

Sim, como ter a certeza?!?

eu: Quando ao fim de 3 semanas sem o ver fico nervosa e a tremer com a sua chegada
ele: Quando reage à minha surpresa com vergonha e timidez
Ai soube-me a pouco, ai soube-me a pouco lá lá lá!...

Tirei 3 semanas só para mim de férias, sem horários, sem preocupações, sem namorado.
Mudei-me de malas e bagagens para casa dos papás que se situa ao lado da praia e não podia ter sido melhor. Estou super bronzeada, bem-disposta e não engordei nem uma grama apesar dos gelados, pastéis de chave e batatas fritas. Os ares do Norte fazem-me tão bem.

Quanto às actividades realizadas, a principal foi de facto praia, praia, praia e esplanadar, esplanadar e esplanadar. A ingestão de café também subiu aos pícaros bem como o mau hábito de me deitar muito tarde. Fui ao S.João do Porto com a V. e foi a loucura, devo dizer que perdi o martelo e um lenço que levava branco, se alguém encontrar é favor avisar. Fui ainda à 13ª Festa do Vinho Verde de Castelo de Paiva, muito louco. Atrelei-me aos professores do agrupamento de Souselo e bora festejar. Gostei muito, uma vez mais a V. é que me arrastou. Estive com a minha amiga C. que será mamã entretanto e fizemos muitas compras para o Guilhermito e falamos, falamos como só duas gajas são capazes. A C. e o A. estiveram sempre lá para mim e ontem deram-me boleia até à Bobadela, muito obrigada por me tirarem de casa pós cafés quase todos os dias. A minha mana B. foi uma jóia, uma riqueza, estava sempre pronta para me segurar os pés para eu fazer abdominais, para longas caminhadas à noite, para comer saudável e esturricar ao sol. Os meus papás não chatearam nadica de nada e soube muito bem acordar e adormecer no conforto do lar. Sei que as pessoas com que estive não foram muitas mas são as essenciais à minha felicidade, como tal, adorei. Ainda passei umas horitas com a N. que não vi durante os últimos 10 anos e foi bom vê-la bonita e feliz.
Como viciada que sou fiz muitas compras, pois claro mas refugiei-me mais na comida. Não me posso esquecer que estou desempregada e sem perspectivas.
Ontem surpreendi o meu querido que não me esperava por cá e foi uma boa noite de reencontro, este fim-de-semana como a pele pede e a preguiça agradece vamos os dois para Sesimbra para mais uma maratona de sol, cama, sol, cama. O ano passado saí de lá com um pé torcido e a caminho do hospital, esperemos que este ano a coisa corra melhor.

Para a semana começo a pesquisar empregos, porque não sou filha de pais ricos portanto preciso ganhar dinheiro, senão não como.

Se alguém souber de algo na zona de Lisboa, Loures é favor enviar o link, obrigado/a.

Venham de lá essas palmaaaasss





Eu sou uma menina muito mimada mas o meu namorado é um homem  muito feliz comigo, portanto quando eu fui de férias e pedi uma prenda para o meu regresso sabia que ele não me deixaria ficar mal, recebi o novo albúm da Rita RedShoes, muito bom.


He is the captain of my soul


Obrigado amor, estás bem ensinado hihihi
Findaram as férias, já estou enfiada na sauna que é a minha casa.
Tenho várias novidades mas para já vou desfazer as malas o que é uma tarefa ingrata!

Até já!